Carregando...

Por favor, aguarde...

A favor da Vida, estamos com a Ciência.
O ano de 2020 ficará marcado na história da humanidade por um fato que atingiu uma grande parcela da população mundial: a pandemia do COVID-19. A forma avassaladora de transmissão do vírus, bem como seu alto índice de mortalidade, motivou um grande esforço da comunidade acadêmica para buscar respostas e soluções no processo de enfrentamento da doença. Assim, a partir de estudos multidisciplinares, pesquisadores de diversas áreas do conhecimento, como Ciências da Vida, da Natureza, Sociais, Tecnológicas e Humanidades, têm buscado explicações, respostas e, sobretudo, soluções para os mais variados problemas decorrentes do avanço do novo Coronavírus. Segundo estudo publicado em abril de 2020 [Disponível aqui] pela Universidade de Leiden (Holanda), somente no CORD-19 (um espaço aberto para compartilhamento da dados sobre a doença) são mais de 47 mil artigos sobre o tema.

Porém, apesar do respeito e credibilidade que instituições de pesquisa conquistaram ao longo de séculos, discursos populistas e opiniões infundadas, ausentes de evidências clínicas e técnicas, se alastraram em paralelo com o avanço da epidemia. Muitas das vezes embasadas em notícias falsas disseminadas até por autoridades públicas, o fluxo de informações inverídicas, além de não respeitar o doloroso processo de perdas de vida, tem confundido boa parte da população que ainda não consegue fazer uso de recursos de checagem da veracidade das mensagens que recebem diariamente por meio das mídias sociais.

Nós, do Projeto NO BAIRRO TEM!, reiteramos as orientações universalmente validadas pela Organização Mundial da Saúde ( OMS) e aceitas pela maioria das nações que conduzem de forma responsável o processo de enfrentamento da COVID-19. Defendemos o respeito e a preservação da vida humana, um bem de valor incomensurável e, por isso, apoiamos o isolamento social e todas as práticas legitimadas pelo poder científico como forma de conter a pandemia. Tais medidas, além de preservarem vidas, favorecerão a recuperação mais rápida da economia.

Obviamente, o isolamento social tem impacto imediato sobre os pequenos negócios, pois reduz significativamente o consumo em todas as áreas. O projeto No Bairro Tem! nasceu da iniciativa de estudante e professores da UFPE com o propósito de atenuar esse impacto, na medida em que permite, gratuitamente, a conexão entre esses pequenos negócios e os consumidores em isolamento social.

Com a Ciência, a Informação e a Tecnologia, venceremos a COVID-19.

Equipe No Bairro Tem!
fale@nobairrotem.com.br
O que é a COVID-19?
A COVID-19 é uma doença causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, que apresenta um quadro clínico que varia de infecções assintomáticas a quadros respiratórios graves.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a maioria dos pacientes com COVID-19 (cerca de 80%) podem ser assintomáticos e cerca de 20% dos casos podem requerer atendimento hospitalar por apresentarem dificuldade respiratória e desses casos aproximadamente 5% podem necessitar de suporte para o tratamento de insuficiência respiratória (suporte ventilatório). Fonte: Ministério da Saúde
Não há qualquer vacina para prevenir ou curar as pessoas infectadas com a COVID-19.

As pessoas podem pegar a COVID-19 de outras pessoas que têm o vírus. A doença pode ser transmitida, principalmente, de pessoa para pessoa por meio de gotículas do nariz ou da boca que se espalham quando uma pessoa com COVID-19 tosse, espirra ou fala. Por isso, o isolamento e distanciamento social são fundamentais para evitar o contágio e desacelerar o avanço da doença.

Além do isolamento e distanciamento social, a organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde recomendam algumas medidas de prevenção da COVID-19:

• Utilize máscaras, se precisar sair. O No Bairro Tem foi criado para que você não precise sair de casa para comprar alimentos, remédios, etc.
• Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos.
• Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%.
• Mantenha uma distância mínima de cerca de 2 metros de qualquer pessoa tossindo ou espirrando.
• Higienize com frequência o celular e os brinquedos das crianças.
• Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos.
Fontes: Ministério da Saúde e OPAS Brasil
Se você tiver sintomas menores, como tosse leve ou febre leve, geralmente não há necessidade de procurar atendimento médico. Ficar em casa, fazer autoisolamento e monitorar seus sintomas.
No entanto, se você mora em uma área com dengue, é importante não ignorar os sintomas da febre. Procure ajuda médica. Ao comparecer ao serviço de saúde, use uma máscara, mantenha pelo menos 1 metro de distância de outras pessoas e não toque nas superfícies com as mãos. Se for uma criança que estiver doente, ajude-a a seguir esta orientação.
Procure atendimento médico imediato se tiver dificuldade de respirar ou dor/pressão no peito. Se possível, ligue para o seu médico com antecedência, ou use o atendimento de Telessaúde do SUS ligando gratuitamente para 0800 644 6543 (funcionamento de 8h às 17h30, de segunda a sexta-feira).
Fonte: OPAS Brasil
Plásticos = 3 dias (72h)
• Aço inoxidável = 3 dias (72h)
• Papelão = 1 dia (24h)
• Cobre = 4h
• Aerossóis/poeiras= 40min a 2h30min
Fonte: INCA
A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo por meio de: 
• Toque do aperto de mão;
• Gotículas de saliva;
• Espirro;
• Tosse;
• Catarro;
• Objetos ou superfícies contaminadas, como celulares, mesas, maçanetas, brinquedos, teclados de computador etc.
Fontes: Ministério da Saúde
Os sintomas da COVID-19 podem variar de um simples resfriado até uma pneumonia severa. Sendo os sintomas mais comuns:
• Tosse
• Febre 
• Coriza 
• Dor de garganta
• Dificuldade para respirar
Fontes: Ministério da Saúde